28 de nov de 2010

seus males meus males

Sente se em sinta se em casa
Me beije e me acaricie com suas doces asas
Me acompanhe até o quarto,perceba as sombras da parede

Não se arrisque em encara-lás,
O repúdio lhe faz sofrer
No espelho de seus olhos todo mau me é passado

Silêncio entre quatro paredes,
Enquanto não há vontades
Pois ainda que tardes hão de aparecer.

22 de nov de 2010

Conversas em plena madrugada

Meus pais não vão acordar,e eu sei disso.
Ninguém escuta nos,podemos falar o que pensamos
sem nenhum puder,sem maldade.

O que o vento te lembra?
Uma cortina branca de seda soprando contra a janela?
Ou passos ocos no tapete azul claro?

Dois corpos deitados em lugares inusitados.
Derramados sobre qualquer vestígio de amor.
Sobre excesso de amor,uma breve correção.

- Haverá móveis? não,precisamos apenas escolher
um sofá,uma cama e um tapete.

Quem saiba depois uma cortina.
Na madrugada clara ouvimos Beatles e tomamos leite.
Mas nada seria mais perfeito se chovesse e tivesse uma cadeira de balanço.

Manhã

Prefiro esconder-me em minhas mágoas,
não quero ser errante ou até mesmo invasiva
Aceito teus defeitos pois pra mim é como se fossem qualidades

Ainda quero rir com você pela manhã,
te ver sorrir,te ouvir
Eu necessito de você.

27 de out de 2010

A principal amiga

Os dias jamais serão iguais uns aos outros,
Um segundo atrás eu sorria,agora eu choro desesperadamente.
A um dia atrás eu acolhia,agora só restam lembranças.
Um pequeno sentimento é tão maior do que tem dentro do meu peito.
A saudade,mesmo recente  me dói e me faz apreciar cada
vez mais as belezas de verdade.
Um simples olhar,um barulhinho,uma vida.
A falta que me faz, os sentido que já fizera
O seu olhar doce e inofensivo.
Delicado como um botãozinho de rosa,
tão cheio de carinho.
Sua vidinha tão sublime,
Sua vidinha tão breve,
Sua vidinha tão significativa,
Jamais jamais eu irei esquecer de vocês três.
Pois a cada vez que eu olhar pro sofá eu enxergarei seu lugar,seus lugares.
Aonde quer seja onde estão,eu a amo-as.

Animal Sentimental

Escrevi este texto para minhas hasmters queridas,para alguém pode até ser bobagem escrever para hamster.Mas podem acreditar,ele merecem muito mais respeito do que qualquer um ser humano.
E considero elas três;Pucca,Julieta e Lola como as minhas melhores e inesquecíveis amigas.


Sua pureza me encanta,
Seu olhar doce e escuro me deixa boba,
substituiu minhas outra amiga.
Outra presença,um silêncio ensurdecedor.
Vive a me espiar com sua curiosidade admiravél,
como os olhinhos brilhando como se a qualquer momento
fosse cair uma lágrima.
E nem choras,nunca chorou
Somente balbuciou e eu ri.
És tão pequena e fofa querida amiguinha,
como minha outra inesquecível raridade.
Uma preciosidade.
Unicas companheiras,fiéis,amigas e solitárias.
Assim como eu nas madrugadas.
E a conversa acontece solta na nossa imaginação,acredite.

Sentimentalismo em Branco

Pode até ser uma bobagem.
Pode ser que seja tolo,infantil e inocente.
E talvez seja exatamente isso.

Uma simples palavra,um simples texto.
Do outro lado há vida,há notas musicais,
há melodias raríssimas e suaves.

Há verdade,o principal.
Não há dois mundos paralelos,
causado pela tristeza ou desilusão.

Somente o meu e o seu,
O nosso mundo.
Noites de tormenta,

Manhãs chuvosas,
Tardes esclarecedoras e eternas,
E um gesto memorável.

13 de out de 2010

Tardes,tardes...

Ao passar da tarde tudo se tornou melancólico
O medo e os gritos abafados foram substituidos por beijos molhados,
Por abraços apertados e explícitas demonstrações de afeto
E ninguém sentiu minha falta

E tudo continuou como era
Nunca reclamei  das tardes vazias que eram antes da sua chegada,
mas me é estranho ter você comigo
é sublime e comovente,

Eu não estou protestando ou algo assim,
Apenas surpreendida,
De como minha vida passou tão rápido,
E não pude valorizar tais sentido que elas fazem.
Mas tudo está mudando nestas tardes.